sábado, 31 de agosto de 2013

Como calcular o preço final de uma peça de artesanato:

Blog Eduardo Barroso , um arraso que achei procurando como colocar preço em meu artesanato.
fucei vários cantinhos e esta foi a melhor resposta.
O Texto é bem claro e de fácil entendimento.
Vale a pena conferir, pois eu entendi onde estava errando na hora de calcular o preço das minhas peças.
Agora vai !



Estratégia competitiva no artesanato

Como calcular o preço final de uma peça de artesanato:

1
Definir o ganho mensal (mínimo e máximo) esperado para o artesão, dentro da realidade do mercado e da qualidade do produto. (Apenas como exemplo:mínimo R$800,00 máximo 1.600,00/mês = média R$ 1.200,00)
2
Definir o valor médio da hora de trabalho do artesão. Dividir o valor de ganho médio mensal pelo volume de horas trabalhadas. (Exemplo: um esforço diário de 8 horas durante 20 dias do mês (4 semanas) = 160 horas. . Portanto ganho médio mensal de R$ 1.200,00 / por 160 horas = R$ 7,50 / hora de trabalho)
3
Definir o valor básico de cada peça. Dividir o numero de peças produzidas por período pelo valor da hora de trabalho. (Exemplo 16 peças / dia = 2 peças por hora de trabalho. Portanto R$ 7,50 / 2 = R$ 3,75 preço de cada peça) = Sub-total 1 (A)
4
Acrescentar o valor da matéria prima por peça. (Exemplo 1 kg de matéria prima R$ 100,00 reais e com elas produz 100 peças. Valor de matéria prima por unidade = R$ 1,00) Sub-total 2 (B)
5
Acrescentar o valor da embalagem. (exemplo R$ 0, 25 por unidade) = Sub- total 3 (C)
6 passo
Acrescentar um percentual para amortização das despesas fixas e investimentos denominado de “overhead” (máquinas, ferramentas, aluguel, luz, etc). Costuma-se calcular 20% por peça produzida = Sub-total 4 (D)
7
Somar A + B + C + D = Preço de venda do produto para o comercio varejista.
8
O comerciante por sua vez deve agregar um percentual para cobrir despesas e margem de lucro. Em geral um mínimo de 50% para definir o preço final de venda ao consumidor
Em nosso exemplo R$ 3,75 (preço da mão de obra para fazer a peça) + R$1,00 (matéria prima) + R$ 0,25 embalagem + 20% de overhead de R$ 1,00 = Preço da peça R$ 6,00 = 50% para venda ao consumidor = valor final de R$9,00).
__________________

Amei e bem fácil de entender
#preços
by Val

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Suporte para cupcakes de argila

 Um mimo de fofo...


diy-cupcake-stand
  
O projeto DIY feito esta semana foi de um suporte de bolo empilhável feito de placas de argila terracota .
As possibilidades de um projeto como este são realmente infinitas. Você pode preenchê-los com doces, cupcakes, ou outras sobremesas. É peça  linda que você pode usar em mesa de aniversários, festas até mesmo como fruteira !Um projeto bem legal !

diy-cupcake-stand1
O que você precisa:

2 pratos de terracota  (pode usar qualquer tamanho que você quiser)
2 potes terracota ( tamanho proporcinal ao prato )
2 metros de fita (ou a ,etragem  da circunferência de prato)
Papel de presente ou de livro decorativo ou sucata
tinta acrílica
Pistola de cola quente e bastões de cola
Esponja pincel
tesoura
Cupcakes

Instruções:
1. Comece pintando ambos os lados de seus discos de argila Pinte uma segunda demão, se necessário.
2. Espere a tinta secar completamente
3. Vire os discos de cabeça para baixo e cole no fundo usando sua pistola de cola quente.
Use uma quantidade generosa de cola.
4. Quando a cola estiver seca, vire o suporte do lado direito para cima e cuidadosamente cola sua fita na borda de seus discos.
5. Corte dois círculos do papel que escolheu para forrar o interior dos discos.
6. Arrume as peças uma em cima da outra e coloque seus cupcakes !

Orçamento:
2 terracota discos R$14,00
2 potes de terracota  R$6,00
tinta acrílica R$ 2,50
Fita 2 metros R$3,00
1 folha de papel R$ 1,50
Total =  R$ 27,00  para dois stands
Project created by Laure Cinotti

Traduzido por mim !!!!!
com o tradutor claro ! kkkk
e consultei os preços das peças e materiais aqui no Brasil ok !
Fica a dica de um mega suporte bem legal .
By Val...

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Corujinhas um mimo só !

Você sabia que a coruja é uma ave de hábitos noturnos e para muitos povos simboliza conhecimento e sabedoria por sua capacidade de enxergar através da escuridão, vendo o que os outros não veem.
Enquanto os demais dormem, ela fica acordada vigilante e atenta a tudo que ocorre a sua volta, além disso, consegue girar seu pescoço em até 270° para observar ao seu redor, permanecendo com o restante do corpo sem o menor movimento. A grande capacidade de visão e audição torna a coruja exímia caçadora e devido a estas características ela representa, em muitas culturas, uma poderosa e profunda conhecedora do oculto.
Sua imagem também está ligada a reflexão, conhecimento racional e intuitivo. Uma tradição antiga dizia que quem comesse sua carne adquiriria os dons de previsão e clarividência, mostrando poderes divinatórios.
Quando um pai ou mãe ressalta com certo exagero as qualidades dos filhos diz-se que são pais corujas e o mesmo adjetivo se estende a outros familiares com comportamento semelhante.
Na tradição dos índios norte-americanos fala-se que a coruja mora no leste, lugar de iluminação e, considerando que ela enxerga no escuro da noite e os humanos temem a escuridão, os indígenas acreditam que onde os humanos se iludem a coruja percebe tudo com clareza.
Por ter hábitos noturnos e morar em cavernas, alguns associam a imagem da coruja ao inconsciente humano.
Também para os gregos, que consideravam o período da noite como o momento propício para o pensamento filosófico e para revelações, esta ave era vista como símbolo de busca pelo conhecimento.
Já o Egito e a Índia consideravam a coruja como a ave dos mortos. E como hieróglifo egípcio representa a morte, a noite, o frio e a passividade.


Ainda na mitologia grega temos Athena, a deusa da sabedoria e da guerra, que tinha uma coruja como mascote e segundo a lenda esta lhe revelava as verdades invisíveis.
No império romano ela era tida como um animal agourento e seu canto anunciaria que a morte estava próxima.
Na China, a coruja desempenha um importante papel como animal aterrorizante, ligado ao raio que clareia a noite, ao tambor que atravessa o silêncio e ao predomínio do principio yang (yin e yang) intensificado até a destruição. Mas por ver no escuro e ser considerada séria e dada a meditação, é também um símbolo de sabedoria que atravessa a escuridão da ignorância.
Na atualidade, escoteiros e os cursos universitários de Filosofia, Pedagogia e Letras a adotam como mascote.



Á mão , á máquina , coloridas ou preto e branco...
São lindinhas !



Uma mais fofa que a outra neh ?


Para os amantes de corujinhas...
 Fica aqui uma inspiração de cores e formatos

Confiram alguns moldes que encontrei na net:






 



Bom... tem corujinha pra todos os gostos !
Corre escolher a sua e mão na massa !
#corujinhas
By Val...




quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Mais albúm de cartonagem feito por mim !

Lembram do ALBÚM ROSA ! que fiz para minha afilhada Luiza?
Então...
Repeteco agora em azul para a irmã dela minha afilhadinha de coração Letícia !
Em azul bem delicado com um leve toque das folhas em amarelo e creme... a cara da Lelê !
Uma fofa meiga que desde pequenina me chama de dinda tbm e " eu sou ! ' sim com muito amor .
Pra vc Lelê lindona !

* Aulas de cartonagem com a super Fabi do FATÊLIE

Ficou um arraso:

O azul floral deu destaque ao azul listrado do porta fotos.
Colei a capa em 2 metades ( 21x16cm) e o acabamento em papel pardo.

A fotinho ficou meio embasada, mas o creme e amarelo arrasaram !
Separei as folhas sendo 8 montes com 5 folhas. 

Nesta dá para ver bem o papel...oco...
costurei a mão bloco por bl

Por fim , acabamento da capa com amarrinhos e penduricalhos.
Cola branca para fixar e vôa-lá !
Ficou bem delicado neh !
amei...amei...amei...
Pra vc Lelê... pois agora tenho que pensar em algo pro Toneto's
super beijinhos
Dinda

São lindos neh !
Meus amores...
Faltou a Rezinha (minha filha e o Di meu genrinho ) mas em breve faremos outra fotxinha !!!

#albúmazul
By Val






terça-feira, 27 de agosto de 2013

Caixa sextavada feita por mim !



Amei esta caixinha ! eu quem fiz ...
Tirei a idéia e  o pap desta postagem.
Usei papel holler e restinhos de tecido com cola branca.
Borá lá colocar a mão na massa?
Confiram o pap !


Apesar de estar em chines, o pap visual funcionou super bem !
Só não consegui fazer o acabamento ficar igual pq usei restinhos de tecido e estiquei até 
para conseguir encapar tudo.
Mas confiram algumas fotinhos de como ficou a minha:

Coube muita coisa dentro !

Fica um tamanho ótimo e vc pode aumentar ou diminuir seguindo as proporções

a tampa fechou certinho...


Maquiagens na cixinha e borá colocar no armário.


Organizei o restante das maquiagens e ficou bem legal !
Além de caber tudo, fica bem acomodadinha no armário.
Ficou bem firme e a colagem ficou ótima !
Ameiiiiiiii ...
#Feitopormim 
By Val













segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Botão de nó Chines

É chinoca sim, mas pode ser japa tbm !
É um botão todo trabalhado em macreme e fica bem lindinho.
Em chinês, o "Jie" (nó) significa harmonia e união e possui o som parecido com "Ji" que por sua vez, significa boa sorte, felicidade, longevidade e prosperidade. É por isso que o nó de corda, se tornou o portador de um símbolo da cultura tradicional chinesa.
Cada um dos nós chineses possui um nome específico, de acordo com a sua forma e significado, como por exemplo "Ruyijie", (o nó do desejo), ou "Panchangjie", (nó da longevidade) e por aí adiante... todos eles expressam os desejos de felicidade e boa sorte, refletindo as antigas crenças assim como a aspiração do povo chinês pela sinceridade, bondade e beleza.
O nó chinês é uma arte milenar. Conta-nos alguns dos antigos arquivos históricos que, ainda nos tempos remotos, os ancestrais chineses registavam os vários assuntos do governo com os nós nas cordas. Esta tradição foi mantida até o surgimento dos caracteres primitivos. Durante a formação da civilização chinesa, a corda era muito usada. Na pronúncia chinesa, a corda tem o mesmo som da palavra “divindade”.
Bem ao estilo oriental, é o acabamento perfeito para quem quer um destaque em sua peça.
O pap é bem facinho de entender.

Use fio encerado ou barbante colorido, ou mesmo fita !
Com capricho e cuidado vc faz o seu botão e fica demais !
O nózinho final arrasa no abre e fecha do danadinho....

Botão é um pequeno objeto, normalmente redondo, usado em peças de vestuário.
O objetivo principal do botão é ajustar as roupas ao corpo, fixando-as em uma posição determinada, embora também seja extensamente utilizada apenas por motivos estéticos. O formato e o material pode variar de acordo com o tipo de vestuário (posição na peça, cor, tecido, entre outros fatores).
A presença de botões já foi confirmada há cerca de 3000 a.C. na Civilização do Vale do Indo, presentes também na Grécia e Roma antigas. Na Idade Média alguns países europeus limitava a quantidade de botões por considerar ostentação excessiva. A partir do século XIII elas tomaram como caráter principal a função de fechar as vestimentas - antes eram vistos como uma decoração, motivo de status. Nessa época os botões ficavam do lado esquerdo, facilitando que os criados dos nobres os vestissem. No entanto, os botões de roupas masculinas foram alteradas para o lado direito; e há várias versões para a causa que pode ter levado à mudança. A pesquisadora Nadine Hackler (Universidade da Flórida) denota que os homens tinham de ser capazes de abrir o casaco com a mão esquerda enquanto pegavam a espada com a mão direita, pela qual se justificaria a mudança ainda na Idade Média.


#botãochinoca
By Val...








sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Etiqueta a mesa...

E quando vc pensa que não pode piorar ? a coisa fica feia pro seu lado !
Aquele encontro num lugar chiquetérrimo, onde vc nem imagina oq fazer com tantos talheres ....
Nada de pânico !
É só dar uma estudada que não fará feio !
Se " uma linda mulher " conseguiu.... kkkk .... a gente consegue tbm neh !
Aprender nunca é demais !





Como usar talheres corretamente?

Aprenda e faça bonito em um jantar chique!

Usar diversos talheres à mesa é uma tradição que permanece em jantares chiques. Porém, com o corre-corre dos dias de hoje, pouca gente tem tempo para aprender como se usa corretamente todos esses utensílios. Porém, usar corretamente os talheres é uma regra de etiqueta que nunca sai de moda!

A primeira dica é preciosa e serve para aquelas ocasiões em que você não tem a menor ideia do que fazer: em uma refeição em que há diversos talheres, comece utilizando os que estão mais afastados do prato e, por último, os que estão próximos. 

Para que serve cada talher
Existem duas maneiras de usar os talheres à mesa: o jeito americano ou europeu. E isso depende da forma que o almoço ou jantar for servido. 

No jeito americano, você corta os alimentos com a faca na mão direita enquanto segura o garfo na mão esquerda. Ao terminar de cortar, coloque a faca no topo e na borda do prato levemente inclinada. A serra fica sempre virada para dentro do prato. Depois de cortar, você pode trocar o garfo de mão, levando-o para a direita (se for canhoto, mantenha na esquerda) e então você come o que foi cortado juntamente com as outras comidas no prato. Os dentes do garfo podem ficar virados para cima quando não for comer nada espetado por ele. Mas não se coloca comida nenhuma no garfo com a ajuda da faca. Sempre que necessitar usar a faca para cortar algo, repete-se o procedimento. 

Já no jeito europeu, você corta como no jeito americano, mas continua com os talheres nas mãos e leva os alimentos diretamente à boca, com os dentes do garfo pra baixo (como ele fica quando se espeta algo e leva à boca). E mais: enquanto não estiver sendo usado, o garfo fica com os dentes pra baixo. Na hora de descansar os talheres para, por exemplo, beber algo o garfo pode ficar no lado esquerdo dentro do prato e a faca no direito ou então deixe a faca apoiada na parte de cima do prato e o garfo na parte de baixo. 

Mas é importante lembrar que, uma vez que a comida for servida e você começar a usar os talheres, eles nunca mais encostam-se à mesa. Os talheres descansam sempre dentro do prato. 

Para sinalizar ao garçom que você já acabou de comer, ou seja, que você está satisfeito, você deve sempre colocar o garfo e a faca juntos e alinhados no lado direito do prato, exatamente no lugar das 3h ou 4h no relógio. E os dentes do garfo podem estar pra cima ou para baixo. Já a serrinha da faca fica sempre virada para o garfo e o garfo fica sempre abaixo da faca. E os talheres que não forem usados ficam na mesa, intocados e quietinhos no lugar de origem. 

Talheres para cada alimento

Saladas: 
Corta-se com o garfo. Se forem folhas, se deve usar a faca e o garfo para enrolar os pedaços, fazendo uma trouxinha no garfo. 

Aspargos: Come-se com garfo e os dedos. A parte da ponta que é mais dura deve ser cortada com o garfo mesmo e é com o garfo mesmo que você vai comer o essa parte do aspargo. O restante pode ser apanhado com os dedos, mas só se for tenro. 

Peixes: São comidos com auxílio de talheres apropriados e, se não tiver, com o garfo comum. Nunca deve-se usar a faca comum para cortar o peixe. 

Alcachofras: Quando inteira exige a mão para desfolhar. O fundo limpa-se com a faca e corta-se com o garfo. 

Ostras: São degustadas com o garfo próprio, de borda cortante e de três dentes. Pega-se a ostra com a mão esquerda e com a direita usando o garfo e com a borda cortante desprega-se a ostra, pinga-se limão e leva-se a boca com o garfo. Não havendo talher apropriado, desprega-se a ostra com a faca, usando o garfo para levar a boca. Pode-se levar a casquinha da ostra até sua boca para beber o caldo.

Carnes e Aves: Comem-se com garfo e faca. Numa churrascaria rústica, ou casa de campo ao ar livre, quando são servidas costelinhas borboletas ou codornas, o certo é apanhar o pedaço com a mão e comê-las. 

Compotas: Comem-se com o garfo para a fruta e a colher para calda. 

Frutas: Em geral já vêm partidas. Uvas, cerejas, jabuticabas devem ser comidas com os dedos e as sementes ou caroços são colhidos com a mão fechada em forma de concha, junto a boca e depositados no prato. 

Sopa: Usar sempre uma colher, mas nunca assopre o líquido na colher e muito menos no prato! 

Licor ou café: Pode ser servido à mesa ou fora dela. Se for à mesa, a xícara e a colherinha vêm junto com o prato de sobremesa.


Uma vez que a comida for servida e você começar a usar os talheres, eles nunca mais encostam na mesa. E isso quer dizer que nenhum contato mais com a mesa é permitido, nem através de “pontes”. Nem com o garfo, nem com a faca, nem com a colher se for o caso de usá-la. Ambos descansam sempre dentro do prato, mesmo quando não usados, como por exemplo, quando você for beber alguma coisa. E saiba que colocar na mesa um talher sujo, usado… é outro faux pas dos grandes. Portanto, lembre-se: usou o talher, no prato fica. Sempre!
E como faço a proeza? Bom há duas maneiras de encarar a questão: American or European Way. E elas têm a ver com o como você vai decidir usar os talheres, ou seja, comer.
Ao cortar é essa a maneira de se fazer a coisa certa!
No jeito americano se corta com a faca na mão direita enquanto segura-se o garfo na esquerda. Ao terminar de cortar, coloca-se a faca no topo e na borda do prato levemente inclinada, cortando o mesmo. A serra fica sempre “olhando” pra dentro do prato. Aí troca-se de mão, levando o garfo para a direita (se for canhoto, mantenha na esquerda) e então você come o que foi cortado juntamente com as outras comidas no prato. Os dentes do garfo podem ficar virados para cima quando não for comer nada espetado por ele. Mas não se coloca comida nenhuma no garfo com a ajuda da faca.
Sempre que necessitar usar a faca para cortar algo, repete-se o procedimento. É, na base do zig-zag mesmo só que delicadamente. Quando for descansar o garfo no prato… ele fica ou na direita ou na esquerda do mesmo, dependendo da mão que o usará (canhota ou destra). Pode até ficar no número 6 do ponteiro do relógio, caso ele, o relógio, fosse o seu prato.
Vc pode até deixar o garfo assim, mas é melhor deixá-lo na lateral do prato.
Já no jeito europeu, você corta como no jeito americano, mas continua com os talheres nas mãos em que eles estão ao cortar e leva direto à boca a comida, com os dentes do garfo pra baixo (como ele fica quando se espeta algo e leva à boca). E o garfo fica o tempo todo com os dentes pra baixo. E você até pode usar a faca para acoplar a comida no garfo, mas… veja bem este mas… mas… o garfo continua com os dentes pra baixo e coloca-se a comida na traseira dele e não na parte, digamos mais fácil e confortável não. É, vai ser na base do espeta e come ou espeta, junta, comprime na traseira e come. Aí, leva-se a comida à boca, com os dentes do garfo sempre pra baixo. É claro, que haverá uma comida ou outra que vai pedir uma adaptada, leia-se, usar o garfo com os dentes pra cima, aí e somente aí, faça sem problema.
Na hora de descansar os talheres para por exemplo beber algo… o garfo fica no lado esquerdo dentro do prato e a faca no direito. Eles podem se encostar e se cruzar no meio do prato ou não. Fica a seu critério. Assim como os dentes do garfo podem estar pra baixo ou pra cima.
Descansando!
Inverta a posição do garfo e faca, please.
Acabou de comer, para sinalizar para o garçom, você coloca sempre o garfo e a faca juntos e alinhados no lado direito do prato, exatamente no lugar do 3 ou 4 no relógio. Pode também colocar no lugar do 6 apontando para o 12, mas eu não gosto desta deixa não. E os dentes do garfo podem estar pra cima ou para baixo. Já a serrinha da faca fica sempre virada para o garfo, e o garfo fica sempre abaixo da faca. Deu pra entender?
Terminou? É assim que ficam os talheres no prato.Ou assim!
Os talheres que não forem usados ficam na mesa, intocados e quietinhos no lugar de origem.
E já que o assunto é talher… não se gesticula com eles na mão. Eles são para comer, não para seguir as suas mãos no ar, tá? Afinal, você está comendo, não regendo orquestra nenhuma. Ou será que está, sei lá, secretamente na sua mente?
Enfim, dito tudo isso, tem gente por aí que defende o uso do empurrar com a faca a comida para dentro do garfo tendo ele os dentes voltados pra cima. Na minha visão, só é certo ajudar com a faca se fizer do jeito europeu, tá? E outra coisa: quem é canhoto pode, se quiser, inverter o procedimento e adaptar para si, trocando as mãos, desde que façam todo o procedimento da maneira correta. Pelo menos alguns “etiquetistas” permitem isso. Outros, não.
Clique nas fotos para uma breve explanation! Mas é breve mesmo!
aqui tem um vídeo ilustrativo sobre ambas as maneiras de comer e outras dicas bem relevantes.







A Francesa ou Americana tanto faz, importante é seguir algumas regrinhas básicas que tudo se resolve !
# etiquetaamesa
By Val 











terça-feira, 20 de agosto de 2013

Kirigami uma arte...

E hoje com este friozinho ! o dia pede algo pra se fazer na mesa e quietinha ! "encucurucadinha" do frio com café quente e musiquinha... Aqui na minha terra é feriado ! por isso ...
Aniversário de 460 anos de São Bernardo.do Campo e o povo em casa curtindo o feriadão com frio !
Uma boa pedida é fazer lindos cartões de kirigami,
Além de facinho tem paps super legais ! confiram:





Kirigami (do japonês: de kiru, "recortar", e kami, "papel") é a arte tradicional japonesa de recorte o papel, criando representações de determinados seres ou objetos.
Kirigami ou Origami Arquitetônico é uma variação do origami, uma arte japonesa de recorte e colagem de papéis.
Quando se faz a arte do kirigami, o objeto fica em 3D, ou seja, elas ficam formas verdadeiras, mas menores.

História

Concepção originada do Origami Arquitetônico foi desenvolvida em 1981 por Masahiro Chatani, um professor de arquitetura do Instituto de Tecnologia de Tóquio.

Juntamente com Keiko Nakazawa, Chatani escreveu livros ensinando a técnica e revelando os modelos de origami arquitetônico.
Chatani diz que o origami arquitetônico "explora o mistério da transformação do plano da segunda para a terceira dimensão, levando em conta a dimensão do tempo". E acrescenta: "Embora tenha sido criado na era dos computadores, não é dos computadores, e sim da imaginação humana". Chatani diz ainda que o Origami arquitetônico "pode ser considerado uma ponte entre o antigo e o moderno, e entre as culturas do leste e do oeste".
A técnica de Chatani rapidamente se espalhou pelo mundo, ganhando inúmeros adeptos dos cartões kirigami (Origamic Architeture).
No Japã, os cartões costumam ser brancos e dão destaque à forma e aos detalhes. Além disso, os japoneses confeccionam principalmente cartões com motivos de monumentos, prédios e edifícios famosos.
A produção industrial dos cartões é criticada pelos idealizadores e adeptos do Kirigami, com a alegação de que sendo confeccionados em gráfica, eles perderiam o caráter artesanal tradicional do Kirigami.
Há grandes mestres do Kirigami como: Masahiro Chatani, Keiko Nakazawa e Idelette Munneke.

Tipos

O origami arquitetônico é uma forma de trabalho manual com papel que combina três técnicas:

  • A dobradura do Origami;
  • O Kirigami (arte japonesa de cortar formas em papel);
  • A Engenharia de antigos livros infantis "pop-ups".
Maquigami (do quechua (Perú): de maqui, "mão", e do japonés kami, "papel") é a arte de recorte o papel apenas com as mãos.






Com algumas inspirações resta vc fazer o seu no capricho !
Não esquece de reaproveitar restinhos de papéis e tecidos e tudo mais que desejar para realizar seu cartão!
#feriadãocomkirigami
By Val











sábado, 17 de agosto de 2013

Albúm de cartonagem passoa passo ! eu quem fiz =)

Feito por mim sim ! com a professora pra lá de especial
Fabi Lopes do Fateliê.
Uma fofa ! que me ensinou mais essa bem legal .
E... meu albúm ficou assim :



confiram aqui a fazeção 

colagem da base

colagem do tecido

Montando

Preparando as folhas

Furand

alinhando

Os furinhos prontos

Costurando o álbum

arrematando a costura

Acertando

Prontinho !

Detalhes não podem faltar !

E os amarros tbm não !
um mimo...

Gostaram?

Dentro com papel reciclado

Fim...


Eu amei amei amei !
Este fiz especialmente para minha afilhada Luiza M. Esteves
minha linda que amo muitão !


Logo vou comprar mais material e fazer outros modelitos, pq amei demais fazer isso !
Como agenda, caderno de recordação ou mesmo álbum, ficou show de bola.
Cartonagem é demais mesmo ! presente ternura sempre !
#apaixonadaporcartonagemepelaafilhada
By Val


Arquivo do blog